Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Textos de apoio das aulas do 8º Ano - II

Mäyjo, 01.03.09

OS CENTROS URBANOS

Cidades — cada vez mais e maiores

O Mundo está a tornar-se o planeta das cidades. Algumas maiores e mais povoadas que certos países!

 

O aumento do número e do tamanho das cidades tornou-se um fenómeno generalizado a nível mundial. Este facto justifica os elevados valores da taxa de urbanização na maior parte dos países, bem como a existência de um grande número de cidades de enormes dimensões.

Taxa de urbanização: percentagem de população urbana em relação à população total.

 

 

O número de cidades e a sua dimensão têm crescido consideravelmente. Se, em 1950, apenas Nova Iorque e Londres tinham mais de 10 milhões de habitantes, actualmente esse número aproxima-se das duas dezenas e tende a aumentar.

Cidades com mais de 1 milhão de habitantes.

São várias as razões que contribuem para este movimento de urbanização:

·   o êxodo rural, responsável pela urbanização dos países de industrialização mais antiga, como o Reino Unido, a Alemanha, a França, que hoje continua a verificar-se nos países em desenvolvimento, onde os campos estão em crise enquanto as cidades beneficiam de uma imagem mais atractiva;

·   o forte crescimento natural, que ainda se regista nos países em desenvolvimento e que contribui também para o crescimento urbano;

·   a concentração espacial das actividades, resultante da industrialização e da terciarização do espaço urbano. Estas actividades são grandes consumidoras de espaço, exigem mão-de-obra, consumidores e boas condições de transporte que só as cidades podem oferecer.

Urbanização: concentração de população nas cidades.

Terciarização: processo pelo qual o comércio e os serviços vão assumindo progressivamente maior importância na economia de um país.

 

A grande concentração de população na cidade pode levar à saturação do espaço dos serviços, tornando-a menos atractiva, e fazer com que:

·   diminua a vinda de população das áreas rurais e algumas pessoas troquem a cidade pelo campo — êxodo urbano;

·   cada vez mais pessoas se fixem nas áreas rurais, embora continuem a trabalhar na cidade. Esta situação resulta, em grande parte, da melhoria dos transportes e do menor preço da habitação nas áreas rurais.

 

Estes fenómenos justificam a diferença que se verifica na evolução da população urbana em países com diferentes níveis de desenvolvimento:

·   nos países desenvolvidos, onde se sentiram mais cedo os inconvenientes das grandes cidades, começa a notar-se um ritmo de crescimento mais lento. A população urbana evolui ao ritmo do crescimento natural;

·   nos países em desenvolvimento, de urbanização mais recente, a taxa de urbanização ainda continua a aumentar a um ritmo acelerado, pois, para além do crescimento natural ser mais elevado, continua a afluir à cidade gente vinda do campo onde as condições de vida são menos atractivas do que nas cidades.

População urbana: população que vive nas cidades ou centros urbanos, incluindo as áreas metropolitanas.

 

Esta diferença na evolução recente dos dois grupos de países não foi ainda suficiente para equilibrar os valores das taxas de urbanização, uma vez que:

• as mais elevadas predominam ainda nos países desenvolvidos;

• as mais baixas encontram-se todas nos países em desenvolvimento.